Poupança para os filhos exige cuidados

Minha esposa e eu temos 35 anos, somos casados há 5 anos e acabamos de ter o primeiro filho dos dois que planejamos. Nosso grande objetivo é dar a eles uma vida confortável e uma excelente educação. 

Porém, como acabamos de pagar o financiamento do nosso apartamento – a prestação era de R$ 4 mil -, pensamos em fazer uma poupança mensal para comprar um apartamento para cada um deles quando terminarem a faculdade (25 anos). 

Estimamos que o valor do imóvel seja em torno de R$ 500 mil. Gostaríamos de saber qual a poupança mensal necessária para conseguirmos esse valor, pois temos receio de comprometermos a nossa renda mensal, hoje em torno de R$ 15 mil. Como não conseguimos guardar muito dinheiro durante o pagamento do nosso apartamento, temos apenas R$ 40 mil investidos.


Maria Angela Nunes Assumpção, CFP®:

Prezado casal, é muito natural e louvável a preocupação de vocês com o futuro de seus filhos. Como vocês são bastante jovens e têm uma longa vida pela frente, antes de falar do valor da poupança mensal necessária para atingir o objetivo da compra dos apartamentos para os filhos, algumas considerações merecem ser feitas. 

Pelo que pude entender vocês hoje conseguem poupar os R$ 4 mil que eram direcionados para a prestação do apartamento. Portanto, as despesas da família são de R$ 11 mil/mês. É provável que com a chegada do(s) filho(s) as despesas aumentem, especialmente nos itens saúde, educação e lazer. 

Orçamento: Se vocês ainda não o fazem, sugiro que comecem a fazê-lo, para que tenham uma visão clara das receitas e despesas familiares, assim se qualquer ajuste for necessário, vocês saberão o que será possível fazer; 

Reserva de emergência para imprevistos: o valor que vocês têm investido, R$ 40 mil, equivale a pouco mais de três meses das despesas mensais. O ideal seria que esse montante correspondesse a um período de seis meses a um ano das despesas. Portanto, vocês deveriam aumentar suas reservas investidas para, no mínimo, R$ 66 mil. 

Seguro: para um casal que, como vocês, ainda não constituiu um patrimônio relevante e tem filhos pequenos a contratação de um seguro de vida em valores adequados à necessidade de proteção dos filhos é fundamental. Caso vocês ainda não tenham seguro de vida, ou mesmo que já o tenham mas em valores segurados baixos, sugiro, fortemente, a avaliação desse tópico, considerando sempre o peso da participação de cada um dos pais na renda familiar; 

Longevidade: a constituição de reservas que suportem as despesas após a saída da vida profissional é um dos pontos relevantes do planejamento financeiro. O aumento da longevidade é um fato inexorável que não pode ser negligenciado. Só para reflexão, imaginem que vocês parem de trabalhar aos 65 anos e vivam até os 95 anos: nos próximos 30 anos (dos 35 aos 65 anos) será necessário guardar recursos que suportem os 30 anos que virão a seguir (dos 65 aos 95 anos). Portanto, vocês devem começar desde hoje a destacar parte do que poupam para esse objetivo. 

Agora vamos ao valor da poupança mensal para o apartamento dos filhos. Supondo uma taxa de juros real líquida de 3% ao ano nos próximos 25 anos, vocês teriam que poupar, a valor de hoje, o equivalente a R$ 1.127 por mês. Se considerarmos dois filhos, o total de R$ 2.254 necessário representaria em torno de 56% da capacidade de poupança familiar de R$ 4 mil/mês. 

Gostaria de deixar uma consideração final muito importante. É muito natural e louvável a preocupação de vocês com o futuro de seus filhos e será muito bom se eles puderem contar com o apoio financeiro de vocês para a compra de um apartamento, desde que esse objetivo não comprometa a manutenção da vida de vocês na longevidade e não haja o risco de faltar recursos financeiros para suportar a fase madura da vida de uma forma digna e confortável. Não tenham dúvida de que uma criação tranquila, confortável, harmoniosa e uma boa educação são os legados mais importantes que os pais podem deixar para os seus filhos.



Maria Angela Nunes Assumpção é Planejadora Financeira Pessoal, possui a Certificação CFP (Certified Financial Planner) concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, e é sócia da Moneyplan Consultoria. E-mail: [email protected] 

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do jornal Valor Econômico ou da Planejar. O jornal e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para: [email protected]