Devo manter meu terreno ou vender e aplicar o dinheiro?

Tenho um terreno em um lugar que se valorizou muito, vários corretores me procuram, mas não preciso do dinheiro. Tenho uma casa onde moro com um filho adolescente e algum dinheiro na poupança. Devo vender o terreno agora e aplicar em outra coisa ou ficar com ele? (L.P)

Lavínia Martins, CFP®: 

Caro leitor, a posse do terreno funciona como uma reserva de valor e no longo prazo a valorização imobiliária tende a seguir a valorização da inflação, podendo ser maior ou menor que ela dependendo da localização do imóvel. Áreas onde há um crescimento econômico grande tendem a apresentar maior valorização, superando o índice de inflação.

A decisão de vender ou não pode levar em consideração outros fatores tais como o valor que você possui hoje como reserva de emergência, a poupança que está fazendo para sua aposentadoria, e o atual nível de liquidez e diversificação de seus investimentos. Você apresenta na questão que não precisa de liquidez imediata, então será que vale a pena vender o terreno?

O que pode ser considerado na decisão é a análise e comparação da valorização imobiliária na região onde está o terreno: veja se é um bairro que tende a continuar crescendo ou se é um local que está se estagnando ou entrando em uma fase de degradação. Compare com as taxas que pode obter em um investimento financeiro, ou na compra de outro imóvel em outra região mais barata e com maior possibilidade de crescimento.

A venda do imóvel vale a pena se você visualizar que pode ser uma boa oportunidade de obter liquidez e trocar por um investimento com possibilidade de valorização maior do que seria a valorização do imóvel de agora para o futuro. Caso contrário, vale mais a pena manter o terreno e capturar mais uma fase de valorização imobiliária onde ele está localizado, realizando a venda no futuro ou em um momento quando você precisar de liquidez.

Por outro lado, pense também que se a poupança que você possui não for suficiente para suprir seus gastos em caso de emergência, talvez seja uma boa oportunidade de transformar este terreno em uma aplicação de maior liquidez, e procurar fazer um bom negócio agora, do que vender às pressas por qualquer preço num eventual momento de aperto financeiro.

Considere também seu patrimônio total e veja se não está muito concentrado em imóveis, uma vez que possui a casa e o terreno, e algum investimento financeiro. Talvez a mudança do investimento imobiliário para outro tipo de investimento possa fazer sentindo na gestão de suas finanças pessoais, de forma a aumentar a liquidez e diversificar o risco da carteira de investimentos.

Você coloca que possui algum dinheiro na poupança, este valor é suficiente para suprir seus gastos básicos de vida e educação do filho por quanto tempo, caso você fique desempregado? Como está o seu nível de poupança, você pensa na sua aposentadoria? E o gasto com a educação de seu filho, você se prepara como para custear a universidade dele?

Antes de tomar a decisão de vender ou não o terreno, ou quando vendê-lo, pense em seu patrimônio como um todo, no nível de liquidez e diversificação de seus investimentos, e na sua necessidade de dispêndio financeiro ao longo da vida. Pese todas as variáveis e só então tome a decisão.

Lavínia Martins, CFP®, é sócia da FinPlan Consultoria e Gestão de Investimentos e Planejadora Financeira certificada pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF).

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do jornal Valor Econômico ou da Planejar. O jornal e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para : [email protected]