Artigos

| Tempo de leitura: 3 minutos

Caminhos do acúmulo de patrimônio e da vida

Reading Time: 3 minutes

Sou estagiário e disponho hoje de um montante de R$ 60.000, grande parte em poupança, a outra em ações e criação de gado. Gostaria de saber como colocar esse capital para trabalhar a meu favor; não considero a poupança um investimento para a vida, em ações não vejo segurança (com o sobe e desce da bolsa nunca sei quanto ganho e perco). Minha receita mensal gira em torno de R$ 1.500 e levo uma vida simples, ainda tento economizar R$ 200. Como planejar o melhor investimento para meu dinheiro?

Fabiano Calil, CFP®:

Caro leitor, agradeço a sua pergunta. Costumo fazer uma fotografia financeira para entender alguns indicadores das pessoas que atendo. Isso serve para que os números absolutos não me iludam. Assim observo que sua capacidade de poupança é de 13%, o que seria relativamente baixa para alguém da sua idade. No entanto o patrimônio esperado para um jovem estagiário, simulei como se tivesse 23 anos, seria de R$ 41.400. Concluo, assim, que possui 145% do que era esperado que tivesse na sua idade e renda. Exceto se recebeu alguma herança ou prêmio, representa um indicador muito positivo, que se contrapõe ao primeiro, aparentemente baixo. 

Aqui respondo à questão que formula, correndo o risco de não me prender aos caminhos da economia. Você diversifica setores, ativos e prazos de investimento. Explico. Está alocado no agronegócio que imagino tenha uma liquidez menor do que os outros ativos, em empresas por meio de ações que, mesmo sem conhecer sua carteira, imagino que diversifique setores. E na poupança, que permite liquidez para necessidades ou oportunidades. 

Quero distinguir para você o “ganhar ou perder” do que chamamos de volatilidade. Alguns ativos, e as ações são o exemplo mais didático que possuímos pela sua transparência e regulamentação, sofrem oscilação no seu preço por diversos fatores. Ora sobem, ora descem e ora ficam estáveis. No entanto, o subir ou descer não significa nem ganho nem perda, exceto se vender as suas ações exatamente naqueles momentos. Como as ações em particular são investimentos considerados de longo prazo, esta oscilação de preços, volatilidade, precisa ser compreendida como característica do investimento e observada em janelas de tempo mais longas. Uma das medidas possíveis nesta fase de aprendizagem é confiar a gestão a um profissional, seja por meio de um clube ou um fundo de investimentos em ações. Concentre-se no poupar, investir e conhecer, mais do que em ganhar e perder. 

Gostei da sua pergunta, qual o melhor investimento para o dinheiro e aproveito para propor outra: qual o melhor investimento para a vida? A segunda parece ser a que faz sentido para todos nós e nos relembra o lugar do dinheiro e do patrimônio nas nossas vidas. Por definição, na economia, dinheiro é um meio. O risco de pensarmos no investir focados apenas no dinheiro é o de desconsiderarmos nossos medos, experiências, conhecimento, desejos e sonhos. 

Será que o melhor investimento para o meu dinheiro é o melhor investimento também para mim? E seu eu gosto de gado e tenho medo de ações? 

Acredito, meu caro, que percorreu um bom caminho de acumulação até aqui, segue as regras de diversificação, tem liquidez e busca conhecimento além de ajuda como esta aqui. Me parece estar no caminho certo, diria para você continuar investigando o mercado para seu dinheiro e também o que você pretende para ele. 

Desejo-lhe uma boa caminhada!

Fabiano Calil é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. E-mail: fabiano@fabianocalil.com.br

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do jornal Valor Econômico ou da Planejar. O jornal e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para: consultoriofinanceiro@planejar.org.br