Artigos

| Tempo de leitura: 3 minutos

“Tenho 18 anos e gostaria de guardar dinheiro e investir. Como começar?”

Reading Time: 3 minutes

Sandra Blanco, CFP®, responde:

Guardar dinheiro é mais difícil do que investir. Para economizar é preciso organização, disciplina e abrir mão de consumo e diversão no presente, em nome da segurança e da liberdade de escolha no futuro. É um desafio tomar decisões constantemente e requer maturidade, não tão comum para os jovens, que são mais propensos a serem impulsivos e viver o aqui e agora.

No seu caso, porém, o primeiro passo, que é o desejo de começar uma vida financeira com responsabilidade, já está dado e você merece parabéns por isso. Quem inicia cedo, logo nos primeiros anos da vida adulta, adianta a colheita dos frutos e precisa empregar menos esforços do que quem só começa na segunda ou terceira idade.

Para o público da sua faixa etária, tangibilizar o longo prazo é um processo complexo. Eu sempre me tomo por exemplo, pois só consegui pensar em como seriam os anos à frente quando minha primeira filha nasceu e eu já tinha 31 anos. Se eu tivesse começado uma década antes, os juros compostos teriam trabalhado mais a meu favor.

Uma simulação pode dar uma ideia mais precisa das vantagens de quem desperta o interesse por uma vida financeira equilibrada ainda na juventude. Com uma estratégia bem conservadora e com R$ 200 por mês, por 40 anos (dos 18 aos 58 anos) é possível acumular R$ 290.000*. Com o horizonte de tempo reduzido para 10 anos, para chegar a esse mesmo montante seriam necessários aportes mensais de R$ 1.900, valor que pode pesar em um orçamento, dependendo da fase da vida e da renda.

Todavia, a receita limitada não é um fator impeditivo para alcançar os objetivos financeiros. São as escolhas que fazem diferença no final das contas. Simplesmente, não dá para ter tudo. A todo instante, decisões entre “ou isto ou aquilo”, conforme o poema da Cecília Meirelles que me ajudou a introduzir a educação financeira para minhas filhas, estarão impactando a jornada.

Uma dica preciosa para conseguir juntar dinheiro é reservar parte do que recebe como salário ou mesada. Não espere sobrar para investir. A conta mais importante de todas do orçamento é para com você mesmo, pague-se primeiro.

A recomendação é destinar o percentual de 10% para os investimentos e viver com o 90% restante, tanto para as despesas fixas, como aluguel ou prestações, e também as variáveis, como alimentação e vestuário. Também não comprometa mais de 30% da sua renda com dívidas, principalmente se for do tipo ruim, aquelas que não incrementam o patrimônio, no máximo adicionam prazer momentâneo. 

Começar a investir ainda jovem, só tem vantagens. Com o tempo a seu favor e se beneficiando da dinâmica dos juros compostos, você pode estrear com aplicações mais conservadoras como o Tesouro Selic, CDB ou Fundos de Renda Fixa, abrindo mão de maiores retornos pela estabilidade. No entanto, pode também ousar e buscar rentabilidades mais altas com fundos imobiliários, fundos de ações ou ações.

O melhor investimento não existe e para equilibrar previsibilidade de retornos, altas rentabilidades e disponibilidade dos recursos é preciso diversificar, pois esses três fatores não são encontrados juntos numa única aplicação.

Se em vez de retornos nominais de 5% ao ano, como o utilizado na simulação acima, você obtiver um ou mais pontos percentuais adicionais, com a inflação em torno de 4%, vai conseguir realizar mais sonhos e objetivos e se preparar para todas as fases da vida, incluindo a aposentadoria, uma vez que não dá mais para contar apenas com a Previdência Social, não conseguimos produzir a vida toda e com o aumento da expectativa de vida podemos ir além dos 100 anos.

Agora só falta colocar na ponta do lápis o que você realmente quer, quanto custa para tornar esses sonhos realidade e ordená-los por prioridade. Para investir poderá utilizar as plataformas digitais, onde é possível encontrar todas as aplicações que você precisa para seguir com seu plano, o qual deve ser revisado periodicamente.

Como eu costumo dizer para as minhas filhas, aliás uma delas tem a mesma idade que a sua, as conquistas financeiras são resultadas das escolhas realizadas diariamente, organização e controle. E esse cuidado com o dinheiro vai exigir disciplina pelo resto da vida.

Costumo dizer também para levarem o estudo a sério. A educação, a informação e a curiosidade para expandir os horizontes são a base fundamental para as conquistas no âmbito financeiro, profissional e pessoal. 

* Utilizando a taxa de retorno nominal média de 0,4% ao mês, equivalente a 5% ao ano.

Sandra Blanco é planejadora financeira pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar). Email: sandra.blanco@orama.com.br

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do site ÉpocaNegócios.com ou da Planejar. O site e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Texto publicado no site Época em 29 de outubro de 2019.