Poupe dinheiro com organização

Marcia Dessen, CFP®:

Organização ajuda a aumentar a produtividade no trabalho, a realizar as tarefas do dia sem deixar nada para amanhã, a economizar dinheiro encontrando no seu armário a peça de roupa ou acessório de que você acha que precisa.

Tire um dia para organizar o seu armário e se surpreenda com os tesouros que vai encontrar. Roupas que você nem lembra que tem, outras que pensou haviam sido doadas. Algumas (ou muitas) com a etiqueta pendurada, novinhas em folha.

Por que ainda estão no armário roupas que não servem mais, seja porque estão fora de moda, seja porque seu corpo mudou? Sem falar nas que você não usa porque não gosta, ou já cansou, já gostou delas um dia, mas faz um bom tempo a última vez em que foram usadas.

Proponho que essa organização seja feita com a frequência necessária, especialmente antes de aproveitar liquidações para comprar roupas de que você acha que precisa. Atrevo-me a dizer que você não precisa delas, elas estão lá, dentro do seu armário, esquecidas, amontoadas, escondidas, e você nem sabe.

Pare de colecionar! Descarte roupas, sapatos, bolsas e acessórios que não usa mais. Doe, recicle, venda, reforme, existem diversas formas de criar uma energia boa para tudo o que sai antes de que novos itens sejam comprados.

Trocar com amigas pode ser uma boa estratégia. Você ajuda a amiga a organizar o armário dela e ela te ajuda a organizar o seu armário. Peças que você optou por descartar podem cair como uma luva para a amiga. E vice-versa.

Durante a organização, faça a contagem de quantas peças de roupa você tem. Quantas calças pretas habitam o seu armário? Oito, doze, mais? Mais do mesmo, para quê? E sapatos? Ficou com vergonha quando viu a quantidade? Quantos você não usa porque machucam o seu pé?

Outro exercício interessante é observar que, apesar do armário lotado de coisas, existe um conjunto pequeno de itens favoritos, usados com frequência. Roupas do tamanho certo, caimento perfeito, cor e modelo adequados. Sapatos confortáveis, a bolsa que combina com tudo e os acessórios versáteis.

Se estiver de cabeça aberta, disposto a entender por que compra tanto e usa tão pouco, talvez se convença de que está fazendo alguma coisa errada, prejudicando suas finanças e o equilíbrio do que é saudável consumir.

Você tem prazer em comprar, é isso? É a experiência da compra que te dá prazer? Você pode vivenciar todo o ritual da compra, entrar em uma loja bacana, experimentar roupas lindas e sair sem comprar nada.

Em mercados mais desenvolvidos, pode até comprar, viver a experiência até o fim, pagar, levar para casa. E depois devolver, sem nem ao menos explicar por que desistiu da compra. Um dia a gente chega lá.

Uma boa forma de não colecionar, não entupir o armário é tirar uma ou duas peças antes de colocar uma nova. A compra de um novo item foi feita para substituir, e não para acumular.

De tempos em tempos, separe em uma parte do armário as roupas que estão em ótimo estado, mas que você não usa, não importa a razão. Convide as irmãs, sobrinhas, amigas, para provar e escolher o que elas quiserem.

O que sobrar doe para uma entidade que realiza bazares, cuja renda é revertida para a comunidade carente do bairro.

Quando organizar, deixe todas as peças expostas em cabides, prateleiras e gavetas, permitindo visualizar tudo. Dessa forma você não se esquecerá do que tem e não comprará o que não precisa.

Artigo publicado originalmente na Folha de S.Paulo em 02/03/2020