Como decidir entre aplicação conservadora e arriscada?

“Este mês receberei os recursos relativos ao vencimento de uma LCI. Com a queda da rentabilidade dos investimentos, tinha pensado em diversificar assumindo um pouco mais de risco para tentar melhorar os rendimentos. Agora, estou com receio de seguir essa política em um mercado tão incerto, especialmente, porque eu sou CLT, mas meu marido é profissional liberal e ele está muito inseguro com as suas receitas. Qual seria a melhor decisão, ser mais conservadora ou mais ousada na minha aplicação?”

 Theo Linero, CFP®, responde:

Prezada Leitora,

Sua pergunta é de extrema relevância, ainda mais para o momento atual, no qual ainda estamos nos perguntando a duração desta crise.

Para responder ao seu questionamento, sugiro que você faça, em conjunto com seu marido, a seguinte reflexão: hoje vocês possuem dinheiro suficiente em investimentos de baixo risco e com liquidez (que possam ser resgatados a qualquer momento) para conseguir pagar as contas durante este período de maior incerteza? Quanto tempo irá durar esta reserva considerando que, pelo que trouxe, somente você terá seu salário garantido neste período?

Estamos vivenciando a necessidade da famosa reserva de emergência (de liquidez ou da paz, o nome que preferir) e, para ajudar a responder as perguntas apresentadas anteriormente, temos, no planejamento financeiro, a orientação de uma reserva de liquidez que consiga suprir nossas contas de 3 a 12 meses. Considerando que um dos membros da família é profissional liberal, seria interessante que a reserva de vocês contemple, pelo menos, 6 meses de contas mensais. Assim, se as contas mensais da família são de, aproximadamente, R$ 3 mil por mês, a reserva de liquidez consistiria em, pelo menos, R$ 18 mil em investimentos de baixo risco e alta liquidez. Para este caso, ter o dinheiro quando necessário (alta liquidez) é mais importante que buscar rentabilidades mais elevadas.

Entretanto alguns casais preferem uma reserva maior que lhes traga mais tranquilidade. Assim, é importante que avalie com seu marido, dada a insegurança apresentada, o que ele entende que seria mais apropriado para que possam chegar em um valor de reserva que seja mais adequado para vocês.

Caso ainda não possuam a reserva de liquidez ou o valor que possuem ainda não seja suficiente para trazer tranquilidade financeira neste momento, a orientação é que vocês sejam mais conservadores agora e utilizem o dinheiro da LCI que irá vencer para construir ou complementar a reserva de liquidez.

Agora, caso vocês já tenham a reserva de liquidez suficiente, avaliem prazo e objetivos de investimento (será para aposentadoria, viajar, comprar algo?), os quais devem servir como direcionadores na escolha do(s) investimento(s). A depender do valor investido, lembre-se, também, de levar em consideração a diversificação, como você bem trouxe, investindo em produtos com diferentes tipos de risco.

E, se este for o seu primeiro passo fora da renda fixa, reveja seu perfil de investidora com o intuito de entender quais investimentos podem ser mais adequados para você, ou seja, para realizar investimentos que não lhe tirem o sono e permitam alcançar seus objetivos no prazo previsto.

Ressalta-se, por fim, a importância de se decidir em conjunto, dado que as finanças do casal devem se traduzir em tranquilidade e segurança para ambos, evitando que assuntos financeiros sejam o pivô de discussões.

Theo Linero é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. Email: theolinero@gmail.com

As respostas refletem as opiniões do autor e não do jornal Valor Econômico ou da Planejar. O jornal e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para: [email protected]

Texto publicado no jornal Valor Econômico em 18 de maio de 2020.